Copy-of-Copy-of-Copy-of-O-Frio-na-Medicina-Tradicional-Chinesa-2

Você conhece o Protocolo de Paulus?

Vamos entender melhor o que é o famoso Protocolo de Paulus? Quem me acompanha aqui no blog sabe que sou apaixonada pela forma como a Medicina Chinesa vê a questão da fertilidade e concepção. E também sobre os processos cíclicos da saúde da mulher.

Uma questão muito interessante é: afinal, de que forma a Medicina Chinesa e suas técnicas auxiliam nessa questão? Foi para responder essa pergunta que Paulus em 2002 resolveu fazer um estudo científico que revolucionou a forma de atuação da acupuntura. 

Porque surgiu o Protocolo de Paulus? 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) fez um levantamento em 2004, revelando que em 47 países em desenvolvimento, 187 milhões de casais eram afetados pela infertilidade feminina. Pois é, é um assunto pouco comentado, mas muito incidente na população. 

A medicina ocidental disponibiliza uma série de tratamentos e avanços científicos nesse aspecto, como é o caso das técnicas de reprodução assistida, como a Fertilização In Vitro (FIV). O grande problema da FIV, é sua taxa de sucesso: ela está em torno de 35% , o que é relativamente baixo para um procedimento tão custoso emocional e financeiramente. 

Foi então que Wolfgang Paulus teve uma brilhante ideia, na Alemanha em 2002. Ele e um grupo de pesquisadores analisou um grupo de 160 pacientes do sexo feminino e todas foram submetidas a FIV. Metade desse grupo, 80 pacientes, recebeu tratamento com acupuntura durante o processo da FIV. As pacientes restantes não receberam tratamento com acupuntura. 

Ao comparar os resultados, Paulus e seu time concluiu que o grupo de pacientes que não recebeu tratamento com acupuntura obteve uma taxa de gravidez de 26,3%. Já o grupo que recebeu tratamento com acupuntura teve uma taxa de gravidez de 42,5%.  

Seu estudo representa um verdadeiro marco na área de saúde integrativa. E demonstra claramente a importância e influência da Medicina Tradicional Chinesa no tratamento de pacientes com infertilidade. 

O que é o protocolo? 

O tratamento que Paulus submeteu as pacientes consistia em técnicas de acupuntura para relaxar o útero e aumentar o fluxo de Qi na região uterina. O que ficou estabelecido é que o dia da transferência embrionária seria o mais importante para aplicá-lo. 

O protocolo preconiza que 30 minutos, 12 horas ou até 24 horas antes do procedimento de transferência embrionária se utilizasse os pontos BP-6 (Sanyinjiao), BP-8 (Diji), F-3 (Taichong), VG-20 (Baihui) e E-29 (Guilai). Logo após a transferência (30 minutos, 12 horas ou 24 horas após) utiliza-se os pontos E-36 (Zusanli), BP-6 (Sanyinjiao), BP-10 (Xuehai) e IG-4 (Hegu). 

Não foi identificado uma melhor eficácia em pacientes que fizeram a acupuntura logo antes e logo após a transferência embrionária. O importante é que o tratamento seja realizado no máximo com 24 horas de diferença para o procedimento da transferência. 

O processo de indução ovulatória e coleta de óvulos também é importante. O protocolo visa aumentar a circulação de Sangue na pelve, além de tonificar o Yin do Rim e do Sangue. Os pontos utilizados são E-36, BP-6, F-3, IG-4, Yintang, e BP-10. O ideal é que se comece a aplicar esses pontos de 3 a 4 semanas antes da indução ovulatória. 

Não podemos esquecer

É importante dizer que somente o protocolo de Paulus não garante uma maior eficácia da FIV. Outros fatores estão envolvidos, e o protocolo em si é somente um deles.

Alimentação, mudança de hábitos, e outras técnicas como meditação também são muito importantes para o tratamento.

Importante dizer que a taxa de sucesso aumenta quando a paciente começa a fazer o tratamento com acupuntura ANTES do processo da FIV. Desta forma, podemos nutrir seu Yin, tirar o Calor interno e, principalmente, movimentar o Qi. Portanto, se você está pensando em fazer a FIV, programe-se e inicie seu tratamento com acupuntura o quanto antes!

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp